Av Comendador Alberto Bonfiglioli 587- sobreloja
Jardim Bonfiglioli - São Paulo - 05593-001 

 

+55 (11) 3129-5398

Acompanhe-nos!

  • YouTube Instituto Harris
  • Facebook Instituto Harris
  • Instagram Instituto Harris
  • E-mail Instituto Harris
  • LinkedIn Instituto Harris
  • Twitter Instituto Harris

Única empresa no Brasil especializada na avaliação de segurança de ingredientes e produtos cosméticos sem o uso de animais.

Siga

Notícias

Cosméticos piratas podem trazer riscos à saúde

09/09/2016 | 

De acordo com os números da Receita Federal, em 2015 foram apreendidos 28 milhões de reais em produtos de higiene e beleza, um aumento de 11% em relação ao ano de 2014. Essas falsificações podem trazer prejuízos para os cofres públicos e também sérios problemas à saúde.

É considerado um produto pirata aquele que foi inteiramente reproduzido sem a autorização da empresa que o desenvolveu ou que foi importado, burlando os impostos. Ele também, possivelmente, provém do trabalho escravo; ameaça a natureza, pois não sabemos a origem de suas matérias primas; é testado em animais, quando testes são realizados; e expõe nossa saúde a diversos riscos.

Quando a porcentagem de substâncias nocivas é encontrada em um produto ela não é considerada prejudicial, se utilizado uma única vez, pois a dosagem é baixa. Mas se mais desses produtos forem usados, podem provocar sérios danos, tais como: manchas na pele, queimaduras, alergias, vermelhidão, coceiras e etc. É preciso se atentar, pois cremes como filtro solar falsificados, por exemplo, não proporcionam o efeito protetor na pele que deveriam e acabam deixando manchas, e até mesmo provocar câncer de pele.

A diversidade de produtos piratas é grande, como shampoo, filtro solar, sabonete, creme para o corpo, esmaltes, maquiagem, perfumes, tintura para cabelo e muitos outros. Entretanto, nem sempre a percepção da falsificação é imediata.

Ao comprar algum cosmético, é preciso prestar atenção nos seguintes detalhes:

• Embalagens – as embalagens dos produtos piratas costumam ser diferentes das originais – às vezes, com erros ortográficos;

• Etiqueta de adequação – é exigida pela ANVISA e contém as seguintes informações sobre o produto: data de validade, país de origem, número do lote, lista de ingredientes, precauções de segurança do uso e conteúdo líquido do frasco.

 Preço – o preço dos cosméticos piratas costuma ser menor do que os originais;

              - não podem ser vendidos com nota fiscal.

 

Vale lembrar que estes produtos são vendidos em lugares suspeitos, lojas oficiais das marcas não oferecem tais riscos. Mas, se você resolver comprar um cosmético pirata para passar em sua pele, é bom estar preparada para a possibilidade de gastar mais do que economizou...no médico. Às vezes, o barato pode sair caro.

  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon